• pzorzodias

Você é empreendedor e ainda não conhece os termos da Lei do E-commerce?

O texto de hoje vai esclarecer tudo o que você precisa saber!


Nos tempos de pandemia houve o aumento exponencial das compras em ambientes virtuais e com isso, o decreto lei nº 7.962 de 2013 que estabelece as normas para o comércio eletrônico teve sua aplicação no ambiente empresarial de forma frequente. Independentemente do tamanho da empresa, as regras reiteraram a importância de se respeitar o Código de Defesa do Consumidor no meio virtual e nessa semana apresentaremos as principais diretrizes que a Lei do E-commerce trata.


Exibir informações claras e objetivas sobre os produtos e serviços, procedimentos quanto ao direito ao arrependimento por parte do consumidor e o oferecimento de um atendimento facilitado e de qualidade são alguns dos tópicos com maior ênfase quando o assunto é vendas virtuais.


Ao adquirir produtos de uma loja virtual, o consumidor possui direitos que devem ser observados pelo vendedor, como por exemplo a clareza na hora de prestar seus serviços. É indicado que todos os dados do seu e-commerce estejam expostos no site de forma visível e de fácil compreensão. Além disso, é essencial que as informações sobre os produtos vendidos, como dicas de funcionamento e especificações técnicas estejam expostas sem dubiedade ou detalhes enganosos.


A garantia dos produtos, ofertas de preços e as condições de troca ou devolução são outros detalhes que merecem a atenção, pois devem ser elaborados de forma acessível e detalhada, em linguagem universal.


A Lei do E-commerce prevê que o atendimento ao cliente da loja virtual deve estar sempre disponível para esclarecer dúvidas e solucionar os problemas que eventualmente surgirem. Esse suporte é realizado, no geral, pela Central de Relacionamento com o Cliente ou Serviço de Atendimento ao Consumidor, mas caso seu empreendimento contemple equipe reduzida, a criação de um Canal de Comunicação direto com os atendentes basta para atender os termos da lei.


Outra dica para se lembrar é a contratação de mecanismos de segurança para que as transações realizadas na loja virtual estejam sempre protegidas de fraudes e outros problemas. Acompanhe os textos semanais para saber sobre mais dicas e procedimentos para as vendas de produtos virtuais.

Imagem: https://www.google.com/urlsa=i&url=https%3A%2F%2Fwww.escoladeecommerce.com%2Fartigos%2Fo-que-e-e-commerce.br

25 visualizações