• pzorzodias

O texto de hoje apresentará mais uma modalidade de garantia locatícia prevista na Lei do Inquilinato

Na semana passada falamos sobre a fiança como forma de garantia locatícia prevista na Lei do Inquilinato, e por isso hoje falaremos sobre o seguro-fiança que é outra modalidade a ser utilizada na prática.


O seguro-fiança ou simplesmente seguro aluguel, substitui a presença do fiador de modo que traz garantias e agilidade para o locador, pois este seguro cobre o pagamento dos aluguéis e encargos legais vencidos e não pagos pelo inquilino, antes mesmo da decretação do despejo, ou seja, durante o andamento da ação judicial.


As custas processuais e com advogados são suportados pela seguradora que poderá indicar um profissional especializado para tratar do assunto. Nesse caso, ao contratar o seguro, o proprietário, de forma opcional, pode solicitar a contratação da cobertura de multa por rescisão contratual e de danos ao imóvel provocados pelo inquilino.


Escolhendo essa opção de garantia, o locatário deverá procurar uma instituição financeira que ofereça o serviço e contratar uma apólice que terá o proprietário do imóvel como beneficiário, desse modo se caso houver inadimplência, o ressarcimento das despesas não pagas é feito por meio do seguro contratado.


Além do aluguel, os proprietários podem exigir a inclusão de outras despesas ordinárias na apólice do seguro fiança, como por exemplo, a taxa de condomínio e o IPTU. Embora represente um custo extra para o inquilino, trata-se de uma boa alternativa quando não se dispõe de fiador ou de capital para caução.

Imagem: https://www.revistaapolice.com.br/2020/12/seguro-residencial-oferece-protecao-ao-imovel-durante-as-ferias/

14 visualizações